terça-feira, 10 de julho de 2012

aline me presenteou com um livro sobre a história da avenida paulista: um que não está corrigido de textos que dão conta do crescimento desenfreado da cidade, bem como da quantidade de casas que foram derrubadas por conta da construção de prédios grandes com duas ou três ou nenhuma palmeira - quase que plástico e vidro - ilustrativa daquele sentimento de preenchimento e exclusão da urbanização. é só um livro novo, publicação dos anos 1980 com fotos de fachadas, de interiores e de interiores de pessoas vestidas de linho e algodão que, por um desvario de espaço-tempo, entendem as calçadas com apreço e, aprisionadas pela capa bonita e duradoura, parecem dar conta do enorme esforço de despedida que são as primeiras décadas de um século de desassossego.

sábado, 7 de julho de 2012

silêncio.