quarta-feira, 28 de setembro de 2011

“e eu sentado onde estava sobre uma raiz exposta num canto do bosque mais sombrio”.

ele parece apresentar sozinho seu próprio universo. tem uma satisfação em olhar e saber que terá uma resposta imediata. não sei se joga, mas se joga... parece bem profissional. a franja esconde dois terços da saudade que ele sente. não engana fácil. sai de bicicleta e bermuda. escolhe o melhor lugar para sentar e pegar o cigarro enquanto sabe que está sendo admirado. não telefona, se esconde da festa e, claro, oferece a sua casa.
parece mentir. não engana o mundo tão fácil.

segunda-feira, 5 de setembro de 2011

abraço essa beleza como quem aguarda a gema brilhante nos olhinhos pouco perspectivados daquela escultura grega. grega, de verdade.