sexta-feira, 25 de junho de 2010

minha página social calada aqui. era o seu sorriso que deveria estar aqui. era você quem eu mais precisava para me lembrar que eu posso seguir.

quarta-feira, 23 de junho de 2010

não cabe ao coração o meu amor.

segunda-feira, 21 de junho de 2010

"tentei fazer com que você entendesse". e respondeu "não, você só tentou me confundir". então, mais uma vez, eles não se entenderam.

domingo, 20 de junho de 2010

encantou-se com o tamanho do espaço e só depois percebeu que estava encolhendo...
logo mais eu vou chegar em casa com um olhar de espanto para a nova cor da frente de casa. eu vou pedir para tirar uma foto do amarelo clarinho e vão me responder em ar de surpresa que é a sua cor favorita a mesa da cozinha para começaremos a esculpir toda a ausência em dois ou três cortes o meu pai me olhará com seus olhos iguais aos meus cheio de atenção e perguntar se chovia muito lá vou responder com atenção vou dar meus abraços a todos e receber alguns presentes eu sei a minha mãe vai teorizar sobre a solidão racionalizará as minhas decisões e eu e meu pai estaremos do lado de fora da casa rindo do jeito como ela se move enquanto fala eu vou pedir pizza no lugar da janta de queijo com boas fatias de tomate acrescentaremos palmito quando estiver mais noite lá no fundo da rua do outro canto da cidade a vovó telefonará pedindo abraço e vou vôo vou com uma camiseta verde porque verde fica bem na cozinha me servirá biscoitos afinal eu estarei muito magrinho a gente vai falar sobre o vovô vou perguntar como ele fazia quando ficava sem graça vamos nos deliciar com as fotografias antigas que comprei pedir uma cerveja para mim e para a minha mãe o meu quarto os livros que ficaram a passagem para goiânia domesticar o olhar quando entrar na casa estarei emocionado com o cantinho que dá acesso à lavanderia os azulejos a estante com o troféu e os livros ele me pedindo para contar as novidades eles me pedindo para contar as novidades mas já sabem estão sabendo agora vou dizer baixinho com os olhos molhados que estou feliz e que me faltaram duas ou três coisas para fazer que deixei algumas coisas que entreguei os meus projetos que morri de amores que pensei os espaços a gente vai se abraçar e pedir colo eu vou chorar e rir depois mostrarei o meu mais bonito

quinta-feira, 17 de junho de 2010

fica transbordando felicidade em mim e agora, depois de tantas despedidas, eu queria dizer "venha aqui agora, pois eu preciso muito de você". mas não vem. não vem a voz. não vem.
há fases em que as pessoas questionam coisas que deveriam ter questionado antes. três, cinco, oito anos.
mas por não se pronunciar, por não saber como se entregar eu talvez não tenha tempo, eu posso ir embora e já não mais querer saber

sábado, 5 de junho de 2010

descobrir enquanto se é descoberto