quinta-feira, 15 de abril de 2010

reagiu com um olhar encantador, apesar de incompreendido e também pelas constantes catástrofes que pairavam sobre o encontro. quando suas lágrimas delicadas encaparam o céu com pouco mais de meia dúzia de esquecimento, tornou a repetir duas palavras de amor para que, não por talento, pudesse impressionar e ouvir o que queria. não esperou um semelhante ah, se eu pudesse voltar esfregava as mãos no material liso e bem limpo que cobria a mesa e apenas abaixou a cabeça para que atestasse um tipo de sentimento futuro e precaver o mundo daquilo que todos já advertiam. questão de não passar despercebido ou, por talento, trocar arte por ensinamento repercutir o gesto a favor da palavra revólver de imposição, mártir em seqüência de responsabilidade ou alcance de si mesmo e conclusão bonita para as próximas manhãs