quinta-feira, 26 de fevereiro de 2009

no mês 03 da vida, ele sentiu aquela imensa vontade de dizer um olá, saber em que pés as coisas andavam e em que estrutura elas estavam dimensionadas.
só sobrava o barulhinho inoportuno do semáforo, o preço da flor, trajeto de casa e videoclipe. ele, até o meio de março, teria um ataque. um ataque de violências.

segunda-feira, 16 de fevereiro de 2009

ela terminou a contagem do tempo com a mala no chão. agora ela volta pra casa, um de seus milhares lugares.

domingo, 15 de fevereiro de 2009

eles apagaram a luz
para dançar

bodas de papel

zigue-zague em dois
para gostar

sexta-feira, 13 de fevereiro de 2009

a imagem-real dele era linda e, ao mesmo tempo, medonha. ele sabia que dava pra desmontá-lo, como de desmontam as palavras em sacos de plástico cubistas. ele estava ali, encostado na mesinha de mármore, de camiseta branca e chinelos verdes, parado, filosofando, mergulhando o olhar naquilo que eles chamavam de 'sentir'. era real, portanto, era de carne e osso. mais osso que carne, mais cabelos que dedos, mais tórax que umbigo, mais aperto que saudade, mais desejo que arrependimento, mais real que sonho, mais tato que audição, mais bem que mau...
eram eles e as fragilidades do outro, só.

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2009

não, ele não queria estar apenas naquele novo ambiente... ele queria ser o novo ambiente.

terça-feira, 3 de fevereiro de 2009

- recolhe, pois, toda a mercadoria, todo o afeto e o tecido amarelo.

- eu vou e preciso do seu abraço.
- você não deveria pedir nada, se quer saber...
- assim eu fico mais só, coração...
- só saudade.
sentir-se é um descrédito no mundo. é recolher as fotografias expostas no mural prateado sem pestanejar. é calcular o valor do troco só quando a porta de casa está aberta. é terminar o curso de francês e, sem mais, optar pela espanha. é, se quer saber de nós, não pagar o valor 0+10 do apartamento. é correr o risco de amar e, logo após, se jogar no poço de borboletas amarelas do estômago.

sentir-se é adotar o ponto de vista da felicidade.