quinta-feira, 30 de outubro de 2008

quem se lembra ainda do instante em que uma porção de escolhas e sonhos imperam na massa cinzenta obrigando com que o cérebro opte pelo 1 ou pelo 2 se lembrará de como rápido voa o tempo.
e eis que assim, sobre idas (e não mais vindas pq o lugar e o tempo é assim, de apreço constante) e só idas, e mais idas... há mais de 30 meses que o estrangeiro - embora ele acabe retornando sempre que solicitado pelo dispositivo burocrático - toma lotações, invade os próprios percalços e fragilidades.
pareceu ouvir até mesmo as complicações futuras, as ternuras e o ardor, meio mundo de distância e toda aquela felicidade que dia ou mês o mundo acaba roubando. energicamente ele - o filhodaputa do mundo - mente.

segunda-feira, 27 de outubro de 2008

desaprender 48 horas por dia ensina os princípios.

(sobre os escritos de manoel de barros)

domingo, 12 de outubro de 2008

ricardo estava sentado na poltrona que ganhara da avó, tempos antes da primeira crise asmática que a levaria deste mundo. o móvel estava completamente surrado; os desenhos pequenos de flores amarelinhas permaneciam ofuscados pelo ombro do rapaz, além de toda a parafernália que trazia no pescoço.
ele costumaza dizer a todos que a poltrona detinha capacidades metafísicas, semelhantes às petulantes previsões da avó. quando o fim de tarde se instaurava, ele ocupava o assento e acendia, com juízo, o cigarro que comprara em parceria ao amigo. meditava sem sigilo, repetia algumas das canções favoritas dos tempos da faculdade de medicina e, apoiado pelo guardanapo, ateava fogo, a pontinha do cigarro, no braço nº2 da poltrona.

lá no fim do mundo, próximo ao diabo, estava a avó, completamente manca.

sábado, 11 de outubro de 2008

a videoarte (grafado sem hífen e sem acento) é uma forma de expressão artística que utiliza a tecnologia do vídeo em artes visuais. desde os anos 1960, a videoarte está associada a correntes de vanguarda.

terça-feira, 7 de outubro de 2008

ele terminou de escrever aquele resumo em que determinava a coloração das texturas e, além disso, desembocava o último projeto no arquivo intitulado nº3.
o outro estava sentado diante do espelho, no terceiro cantinho do espaço maior e brincava com a personalidade do ambiente, rememorava os papéis-de-parede, as outras formas e, falando de maneira breve, condecorava o verde e o curto espaço de tempo em que a tinta poderia ser acolhida.

no fim da noite não disseram mais nada. o elevador do primeiro funcionou como um roteiro guia, somente com as instruções de uso, nada demais, não teria a coloração do segundo, obviamente. mas era seguro porque não permitia contra-argumentos e toda a apreciação informal da narração.

o segundo fez com que o traço primordial do movimento vert se alargasse, rompendo a penteadeira da sala, os azulejos da cozinha, o teto em papel fosco e o solado dos sapatos.

estavam presos aos quarenta anos.